OS LIMITES DO OCEANO CÓSMICO

1289679659714.

Uma das coisas de que tomei consciência, quando comecei a pensar sobre as provas da existência de Deus, é que o universo não é uma substância, nem um invólucro que guarde as substâncias. Universo é um termo relativo, e remete aos universais: a espécie e o gênero. O que chamamos de universo, portanto, a criação, não tem unidade, nem forma definida, é tão-somente o conjunto acidental de todas as substâncias existentes. Inclusive, se alguma substância não tem, entre seus acidentes, o lugar e a posição, ainda assim, é parte do Universo ou da criação. Os anjos são partes da criação.

Continuar lendo

A FORMAÇÃO DO CORPO DE ADÃO

creation_of_adam_meermano_nl

Diz a profissão de fé do Papa Pelágio I (Fides Pelagii) enviada a Childeberto I, rei dos francos:

Todos os homens, em efeito, desde Adão até a consumação do tempo, nascidos e mortos com o mesmo Adão e sua mulher, que não nasceram de outros pais, senão que um foi criado da terra e outra da costela do varão… (D 228a).

Isso permite duas interpretações:

Continuar lendo

I ARTIGO: CRIAÇÃO 2 (PARTE 4 DE 4)

the-fall-of-man

A prova

Os seres espirituais, com inteligência e vontade, foram feitos à imagem de Deus, como dito anteriormente. Contudo, a Escritura atesta que foram criados também segundo Sua semelhança. Explicado já o sentido de ser feito «à imagem de Deus», há de se explicar o sentido de ser feito «segundo a semelhança de Deus».

Neste sentido, diz a Escritura:

Seremos semelhantes a Deus, porquanto O veremos como Ele é (I Jo 3,2).

Esta é a vocação a que são chamadas as criaturas espirituais: ver Deus como Ele é! Este é o dom sobrenatural (pois que ver Deus é um privilégio infinitamente imerecido por qualquer criatura) que Deus concedeu às suas criaturas mais perfeitas. Apesar dessa dádiva, Deus não confirmou Suas criaturas na graça. Continuar lendo

I ARTIGO: CRIAÇÃO 1 (PARTE 4 DE 4)

Creación_de_Adán_(Miguel_Ángel)

No último texto nos detivemos em analisar a ação interna de Deus (ad intra); passaremos a analisar as ações divinas externas ou ad extra, para fora, como a criação, providência, Redenção… Neste texto, trataremos da criação.

Criar é fazer existir do nada, ou seja, sem nada preexistente. Por ser uma ação ad extra, a criação é um ato que tem por objeto as criaturas e, ipso facto, é obra das três Pessoas divinas conjuntamente porque tudo o que não diz respeito à íntima relação entre as Pessoas é comum às três simultaneamente. Continuar lendo