BREVE EXAME E A CARTA DOS CARDEAIS OTTAVIANI E BACCI

ottaviani3

O Breve exame crítico é um estudo feito a pedido e apresentado pelos Cardeais Alfredo Ottaviani e Antonio Bacci ao Papa Paulo VI motivado pela imposição do novo rito da Missa.

O estudo consta da seguinte estrutura:

1. Histórico da Mudança ⇒ A nova forma da Missa foi substancialmente rejeitada pelo Sínodo Episcopal, nunca foi submetida ao júri das Conferências Episcopais e nunca foi reivindicada pelo povo. Além do mais possui todas as possibilidades de satisfazer aos mais modernistas dos protestantes.
2. Definição de Missa ⇒ Através de uma série de equívocos a ênfase é obsessivamente colocada no aspecto de “Ceia e Memorial” ao invés da “Renovação incruenta do Sacrifício do Calvário”. Continuar lendo

Anúncios

PARTICIPAÇÃO ATIVA: MISSA TRADICIONAL X MISSA NOVA

this2bis2ba2bchurch

O texto a seguir não entra no problema real do Novo Rito da Missa (problema que pode ser estudado aqui), mas fornece boas reflexões para se debater e talvez abrir a mente (por que não?) daqueles que não veem problema no rito de Paulo VI nem nos textos do Concílio Vaticano II.

Embora não seja minha via argumentativa preferida, pela razão acima, reproduzimos o texto que originalmente se encontra aqui.

****************

 

Como a Missa Latina Tradicional suscita mais participação ativa que a Forma Ordinária

 

Quantas vezes os apreciadores do Rito Romano clássico já ouviram a objeção: “A Missa nova é melhor que a antiga porque permite maior participação ativa dos fieis”, ou “A Missa antiga tinha de ser eventualmente reformada, porque o sacerdote era o único fazendo alguma coisa, e as pessoas eram todas espectadoras mudas”. Meu objetivo neste artigo é refutar tal alegação e demonstrar que, pelo contrário, o oposto é verdadeiro.

Continuar lendo

CONSIDERAÇÕES SOBRE O ORDO MISSÆ DE PAULO VI

Nova Imagem de Bitmap

O “Considerações sobre o OrdoMissæ” de Paulo VI foi escrito em 1970, ou seja, um ano após odecreto que impunha a deformação do Rito da Missa a ser usada em toda a Igreja latina de Rito Romano.

Considero este estudo indispensável para se entender o grave perigo à Fé que o novo rito da Missa impõe às almas desde sua promulgação obrigatória desde 1969.

Embora lícito (considerando de modo mais legalista possível), o leitor entenderá o quanto a reforma é ilegítima. Continuar lendo