A VOZ DO POVO NÃO É A DE DEUS

1domingoramos

«Hosana ao Filho de Davi! Bendito seja o que vem em nome do Senhor».

«Que seja crucificado».

Que tremenda meditação nos propõe o II Domingo da Paixão ou Domingo de Ramos…

Em primeiro, vemos o Cristo, entrando triunfante em sua cidade. Cristo Rei, mas um Rei «manso e humilde», pois está no “jumento, que leva o jugo” (Evangelho dos Ramos). Por isso, a Liturgia faz uso dos paramentos vermelhos, a cor régia. E inicia-se a procissão de ramos. Continuar lendo

JULGAI-ME, DEUS: A DIVINDADE DE CRISTO

1978904_917107121649771_4842340676213020227_n

«Em verdade, em verdade, Eu vos digo: antes que Abraão existisse, EU SOU».

O Evangelho deste I Domingo da Paixão narra-nos a intenção dos judeus em matar a Nosso Senhor depois dessas palavras. O Introito é o Seu argumento de defesa, não a eles, entretanto, mas a Deus, Seu Pai:

Julgai-me, Deus, e discerni a minha causa da gente não santa (Introito).

Continuar lendo