A MISSA E A TEOLOGIA

3466e399-aee9-49e7-a684-c36ad955f4ba

Um argumento bastante utilizado pelos que defendem a ortodoxia da reforma litúrgica de Paulo VI, é que a Igreja não pode errar ao legislar tampouco ao impor um rito. É possível que a Igreja estabeleça um rito ruim ou herético? A resposta, como a maioria das coisas reais, não é tão simplista como querem alguns. Continuar lendo

Anúncios

SACRAMENTO DA EUCARISTIA (PARTE 2 DE 2)

Consagração

Tendo já investigado os aspectos sacramentais da Eucaristia, passaremos neste texto a explicar seu segundo caráter: culto de sacrifício [1].

Sacrifício, como explicado anteriormente, é a destruição de algo (ou, para os racionais, humilhação de si e rebaixamento da vontade) oferecido a Deus a fim de reconhecer Seu Senhorio sobre tudo. É bem óbvio que o Sacrifício de Nosso Senhor na Cruz satisfaz plenamente essa definição. O que provaremos é que o Sacrifício Eucarístico não só satisfaz a definição, como é aquele mesmo Sacrifício que Nosso Senhor ofereceu no calvário [2]. Continuar lendo