SACRAMENTO DA PENITÊNCIA

(c) Newtown Town Council; Supplied by The Public Catalogue Foundation

O quarto Sacramento é a Penitência, também conhecido como Confissão. Ganhou esse nome porque na antiguidade seu ponto mais notório eram as duras penitências públicas impostas aos fiéis [1], como pode ser lido já no século II em Santo Irineu de Lião (cf. Contra as hereias, I 6,3).

A Penitência, enfim, é o Sacramento que perdoa os pecados cometidos depois do Batismo, mudando para temporal a pena eterna [2].

Como nossa natureza foi essencialmente atingida pela concupiscência [3], nem sempre nos mantemos fiéis às promessas e à Fé que abraçamos no nosso Batismo, as quais se aperfeiçoaram e cresceram na Confirmação e são nutridas pela Eucaristia. Por esse mesmo motivo, a Penitência é, depois do Batismo, o Sacramento mais indispensável à salvação. Continuar lendo

SACRAMENTO DA EUCARISTIA: RITUAL

sacrament3

Como já visto, a Eucaristia tem um duplo aspecto — de Sacramento e de Sacrifício — e por isso dois rituais poderiam ser tratados aqui: o rito da comunhão propriamente (referente ao Sacramento) e o rito da Missa (referente ao Sacrifício). O rito da Missa, como é sabido (e alvo de muitos textos neste site), sofreu enormes transformações na reforma realizada por Paulo VI. Não é o objetivo deste texto explorar essas mudanças. Passemos à estrutura da cerimônia da Missa (dividida em 5 partes [1]): Continuar lendo

A MISSA E A TEOLOGIA

3466e399-aee9-49e7-a684-c36ad955f4ba

Um argumento bastante utilizado pelos que defendem a ortodoxia da reforma litúrgica de Paulo VI, é que a Igreja não pode errar ao legislar tampouco ao impor um rito. É possível que a Igreja estabeleça um rito ruim ou herético? A resposta, como a maioria das coisas reais, não é tão simplista como querem alguns. Continuar lendo